25/09/2014 00h00 Atualizado em 24/09/2014 00h00

A Associação Paulista Viva e a ciclovia na Avenida Paulista

Indique para um Amigo

APRESENTAÇÃO INICIAL DA IDEIA PELO SECRETÁRIO JILMAR TATTO

Como organização da Sociedade Civil, a ASSOCIAÇÃO PAULISTA VIVA, tem sido um ponto de convergência para que seja cumprida a sua missão de trabalhar pela qualidade de vida, preservação, segurança e valorização da região e entorno da Av. Paulista.

Por essas características fomos visitados, em 14 de julho passado, pelo Secretário Municipal de Transportes, Sr. Jilmar Tatto, acompanhado de técnicos do CET e outros colaboradores.  A visita foi solicitada pela Secretaria com a finalidade de nos apresentar o projeto de ciclovias para a Av. Paulista.

Na ocasião nos foi apresentado, pelo Secretário, um “power- point” com alguns desenhos, ilustrações gráficas e maquetes digitais que apresentavam a ideia da ocupação do canteiro central para implantação de um corredor de duas mãos ao longo da Paulista.

Indagamos ao Secretário outras informações sobre a autoria do projeto urbanístico e técnico e outros estudos para demonstrar a viabilidade das obras e fomos informados de que tudo já estava definido e pronto para início das obras em agosto e conclusão antes do final do ano.

Naquela ocasião informamos que, na qualidade de interlocutores de uma comunidade ampla e diversa, não poderíamos opinar quanto ao projeto sem mais detalhes e sem que o mesmo fosse também levado à apreciação de outras entidades representativas dos usuários da Av. Paulista como pedestres, motoboys, skatistas e outros que sempre nos procuram para tratar de suas reivindicações.

Demonstramos nossa satisfação com a realização de ciclovias na nossa região, medida de extrema necessidade para colocar nossa cidade à altura de outras metrópoles mundiais.

No entanto, para que pudéssemos opinar sobre as obras propostas, gostaríamos de conhecer mais detalhadamente o projeto, as técnicas, os procedimentos para eventuais interrupções do trânsito, horários de execução dos serviços e outros detalhes que demonstrassem a melhor forma de realização de um serviço público de tão grande importância e que precisa ser realizado com critérios mais definidos e garantias para o convívio, com segurança, de todos os que circulam por esta grande Avenida.

 

NOTÍCIAS E POLÊMICAS ATRAVÉS DA MÍDIA

As ciclovias propostas para outras regiões começaram a ser implantadas com mais rapidez a partir de meados de julho, e as obras na Paulista passaram a ser apresentadas pela Secretaria Municipal através da mídia.

A polêmica se instalou sempre através da mídia até que em 09 de setembro a Prefeitura, numa coletiva de imprensa, apresentou algumas emendas à proposta inicial para a referida ciclovia, na qual observamos ainda alguns problemas não definidos tecnicamente, em especial, a verificação “ in loco “ das medidas apontadas, pois a proposta parte do princípio de que o canteiro central tem uma medida uniforme em toda a extensão da Avenida, (3,5 m) e possui todos os equipamentos ( postes, relógios, árvores etc...) instalados exatamente no centro o que permitiria a instalação da ciclovia com pequena interferência nas faixas de rolamento.

Apenas com uma visão superficial pode-se ver que essa não é a realidade existente, pois em muitos trechos o canteiro central tem medidas consideravelmente inferiores (2,40 m. em frente ao Conjunto Nacional) o que não permite a instalação da ciclovia pretendida sem diminuição das faixas de rolamento existentes.

Outro detalhe que não ficou devidamente esclarecido se refere à segurança para a travessia de pedestre, especialmente porque o canteiro central é ponto de parada obrigatória para os que são tomados pela mudança de sinalização para a travessia.

A PAULISTA VIVA JUNTO AO MINISTÉRIO PÚBLICO

Como continuamos a ser indagados por nossos associados e procurados por vários representantes das comunidades, em 12 de setembro nos dirigimos ao

Ministério Público protocolando um pedido de providências no sentido de que a realização dessa obra importante, fosse avaliada devidamente por urbanistas, técnicos e engenheiros especializados.

Nosso pedido recebeu o número de protocolo 0135002/14.

Naquela ocasião fomos informados que o próprio MP através do Promotor de Justiça de Habitação e Urbanismo, em 11 de setembro, já tinha dado início ao processo no 412/20 em cumprimento a decisão de 15 de agosto de 2014 em reunião específica na mesma Promotoria. 

A Associação Paulista Viva se pronunciou diversas vezes na imprensa reiterando que não se posiciona contrária à instalação das ciclovias na cidade e em especial na Av. Paulista, onde a ciclofaixa que funciona aos domingos, colabora para que a família paulistana e a população em geral desfrutem com segurança deste espaço carregado de simbolismos, funciona adequadamente há algum tempo, sendo uma das vitrines para a disseminação do ciclismo em São Paulo.

DIÁLOGO COM CICLOATIVISTAS

Em meio ao atendimento a diversas solicitações e sugestões recebemos em 18 de setembro, em nossa sede, representantes do grupo CICLOCIDADE que foi procurado por nós para esclarecimentos devidos, em especial, para nos colocarmos, como Associação, com a função de mediar qualquer eventual conflito, esclarecendo que, como representantes de diversas comunidades, temos todo o interesse em manter a convivência harmônica nesta Avenida especial.

Concluindo aquela reunião, ficamos de acordo de que estudos mais aprofundados precisam ser feitos para execução da ciclovia pretendida, a fim de que uma intervenção urbana dessa natureza possa realmente atender a todos os cidadão de forma justa.

Foi solicitada, pelos representantes da CICLOCIDADE, que houvesse agilidade na criação dessas providências, pois consideram extremamente oportuna a rápida instalação dessa ciclovia, considerando até mesmo, viável a consolidação do traçado atualmente da ciclofaixa existente, com as devidas sinalizações, até que haja consenso sobre a construção de um equipamento urbano definitivo.

POSIÇÃO E AÇÃO DA PAULISTA VIVA PARA A REDUÇÃO DOS ACIDENTES DE TRÂNSITO

Entre outras atividades, a Associação Paulista Viva, tem se dedicado a eventos promotores do aumento da segurança no trânsito que estão se desenrolando com o apoio de entidades significativas da nossa sociedade com a criação de um Comitê específico e que culminará com a promoção do MAIO AMARELO já tradicional em várias capitais.

Esse Comitê está preparando a semana PAULISTA a PÉ, para os próximos dias 18 a 28 de setembro, destinando esse período sua atenção aos Pedestres.

COMITÊ MAIO AMARELO

Convidamos a todos os interessados a participar do movimento MAIO AMARELO e em especial nos eventos que já estão marcados para a semana de 22 a 28 de setembro integrando a VIRADA DA MOBILIADADE.

 Assim, a PAULISTA VIVA, reitera sua função de mediar as opiniões de seus associados e as demais representações da população quer através das demais comunidades organizadas, quer com os órgãos do Poder Público para que a convivência harmoniosa se concretize na Av. Paulista e entorno, configurando-se assim, uma verdadeira participação cidadã.